A transformação do ser

Uma das coisas que mais gostamos é de comodismo. É própria de todos nós, a vontade de estar sempre numa posição confortável, pois odiamos as dificuldades. Priorizar nosso bem estar sobre todos e tudo, parece ser um instinto natural do ser humano, e na maioria das vezes, o egoísmo é o sentimento que motiva. Todavia, na contramão do sistema, está o evangelho de Jesus, propondo um novo estilo de vida baseado nos padrões do reino.

Também faz parte de nossa natureza, viver de maneira individualista e egocêntrica. E não sei se sou a única por aqui que pensa assim, mas acho que isso só tem nos trazido problemas... Sem contar a falta de amor que também é a origem de todos os males. Mesmo com todas essas constatações, a inclinação para a mudança não é comum; a maioria de nós se conforma a viver segundo os próprios impulsos e desejos que em essência são maus. Parece um tipo de pessimismo, mas uma rápida análise da História ou até mesmo uma análise íntima nos revelará quem realmente somos. Quem quiser trilhar o caminho inverso, tem uma longa e difícil caminhada pela frente; O caminho é apertado, mas ao mesmo tempo revela vida.

Mudar hábitos ou idéias, nem sempre é fácil, mas se faz necessário. Não se pode por “remendo novo em veste velha”. A mentalidade e os atos antigos são incompatíveis com a nova vida nos moldes do reino de Deus, por isso é preciso rejeitar comportamentos antes tidos como normais e adotar uma nova conduta diante de Deus, dos homens e de si próprio. Acomodar-se com os padrões correntes baseando a própria vida em um sistema totalmente carnal e diabólico, é ser conivente com ele. O chamado de Deus em Rm 12: 2 é à transformação do ser através do novo entendimento concedido por Jesus Cristo. No reino, a revolução começa dentro de si mesmo.

O inconformismo com as ideologias, comportamentos e padrões que nos é imposto não é suficiente se nos limitamos à teoria. Tem de haver transformação em nós e no mundo ao redor, e só poderemos mudar alguma coisa ou pelo menos ser relevante de alguma forma, se usarmos o amor para revolucionar o meio em que vivemos. Mahatma Gandhi disse e eu concordo: "O amor é a força mais sutil do mundo". Uma pessoa que se diz seguidora de Cristo e não consegue praticar o perdão e o amor, precisa urgentemente se perguntar se entendeu o evangelho.

Os seguidores de Jesus têm de literalmente segui-lo imitando-o em toda sua forma de ser. Pois, Ele mesmo amou a todos, serviu demonstrando humildade, respeitou quem não o aceitou mesmo quando seus discípulos disseram: “taca fogo aqui”, perdoou a ignorância das pessoas quando não sabiam e/ou não entendiam o que faziam e seguiu honrando o Pai vivendo para cumprir Sua vontade. Portanto, o que Deus nos diz é: Não se conforme com a antiga mentalidade que vez ou outra tenta retornar ao lugar, não se conforme com os rumos tortuosos que o mundo tem tomado. Antes, revolucione!


“E não vos conformeis com este século, mas transformais-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.” RM 12:2


Texto meu pro GAE_missões urbanas



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Onde está ó morte o teu aguilhão?

Momento introspectivo

O inferno astral dos cristãos